Estudos apontam que sim

Você sabia? De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, 140 milhões de pessoas no país são atingidas pela doença, sendo que 30 milhões são diagnosticadas com enxaqueca. Essas dores prejudicam muito as pessoas, sobretudo os estudantes que vivem em constante preocupação.

Mas, será que podemos relacionar a dor de cabeça com os estudos? Segundo pesquisadores, a culpa não é dos estudos em si, mas sim da falta de sono e estresse que acompanham os estudantes.

A adoção de alguns hábitos saudáveis pode reverter essa situação, confira algumas dicas para combater as dores de cabeça:

Durma bem: o ideal é que as pessoas durmam cerca de oito horas por noite. Trocar o dia pela noite, problemas com insônia e outras alterações no sono podem causar dor de cabeça.

Controle o estresse: quase tudo que está ligado ao comportamento e às emoções influencia o aparecimento da dor de cabeça quando há propensão a ela. E, nesse ponto, a tensão se sobressai.
É preciso investir numa rotina mais tranquila. Como? Reservando espaços na agenda para o lazer e atividades que lhe transmitam paz, como meditar, assistir a uma série ou ler o seu livro preferido.

Não ultrapasse seus limites pessoais: tente não aceitar mais tarefas do que pode cumprir. Divida as tarefas grandes em trabalhos menores. Não passe noites sem dormir e procure escutar o que o seu corpo tem a dizer.

Evite ficar em jejum por muito tempo: a má alimentação pode trazer dores de cabeça assim como a alimentação insuficiente. Um estudo revelou que uma a cada 25 pessoas é afetada por dores de cabeça por causa de jejum. Esse fenômeno ocorre principalmente quando alguém jejua para realizar um procedimento médico ou está em uma dieta para perder peso. Para evitar o problema, olhe sempre as recomendações dos procedimentos para verificar se está liberado tomar pelo menos algum líquido, como água, café ou chá.

Beba mais água e diminua o consumo de café: algumas dores são provenientes da sensibilidade a alguns alimentos ou bebidas, como queijos, chocolate, álcool ou café. Segundo pesquisadores, a diminuição do consumo de café pode aumentar a ocorrência da doença. Uma avaliação registrou que 50% das pessoas que beberam menos de 100 mg por dia tiveram dor de cabeça, além de sintomas como fadiga, perda de energia e senso de cautela, sonolência, sinais depressivos e dificuldade de concentração. Beber bastante água também ajuda na prevenção das dores.

Procure ajuda profissional caso nada disso funcione: às vezes é preciso fazer um check-up para ter certeza de que tudo está certo. Vale a pena investir na sua saúde e na sua qualidade de vida. Siga o nosso blog para mais dicas como essa!

agencia